Uma pesquisa realizada pela Tavex permitiu a criação de um projeto que ajuda o Grupo Camargo Corrêa a reduzir ao mesmo tempo o impacto de dois produtos de refugo do processo de tingimento e acabamento da produção de jeans: o CO2 proveniente da combustão das caldeiras e o efluente alcalino dos processos de tratamento do tecido.

Seguindo o compromisso da Agenda Climática que estabelece a redução, a reutilização e o armazenamento do carbono, os profissionais do projeto promoveram pesquisas e descobriram que o CO2 poderia ser utilizado no lugar de outros ácidos tóxicos e corrosivos para fazer deixar mais próximo da neutralidade o pH alcalino dos efluentes.

O projeto, iniciado em 2007 na fábrica de Tatuí-SP, já foi implantado nas unidades de Americana-SP, Socorro-SE e Tucuman, na Argentina. Um de seus resultados mais importantes até o momento é que a Tavex conseguiu reduzir em cerca de 3.000 toneladas a emissão anual de CO2 na atmosfera, um volume que exigiria o plantio de 18.000 árvores para neutralizar esses gases, conforme dados da ONG "A Iniciativa Verde".

Entre os resultados adicionais, a troca dos ácidos pelo CO2 ajudou ainda a reduzir acidentes operacionais, melhorando as condições de segurança do trabalho e a vida útil dos equipamentos; minimizou impactos ao meio ambiente ao tornar a neutralização do pH mais eficaz e favorecer o reuso de efluentes; e gerou economia de R$ 2,5 milhões para a Tavex entre 2009 e 2010 ao dispensar gastos com insumos e manutenção das máquinas.