A adoção de um plano de mitigação de gases de efeito estufa (GEEs) na InterCement e a definição de metas de redução fazem parte das ações do Grupo Camargo Corrêa para efetivar os compromissos firmados em sua Agenda Climática, como a realização de inventários periódicos de emissões, a busca contínua da redução de emissões e a divulgação de seus resultados.

Desde a realização do primeiro inventário, em 2007, as informações sobre o consumo de combustíveis nas diversas operações da InterCement (cimento, concreto, agregados, ferrovias e preparação de combustíveis alternativos) são registradas em uma base de dados e auditadas por consultores externos independentes, além de haver acompanhamento dos marcos regulatórios e de novas tecnologias de redução de GEEs.

Dados com os primeiros resultados dessas ações já foram apresentados em fóruns como a Rio+20, para entidades governamentais, como a Cetesb, e a clientes do Grupo. Um dos números mais significativos é a baixa pegada de carbono da produção brasileira de cimento, 601kg de CO2 por tonelada produzida, sendo que o impacto da InterCement é ainda menor, 531kg de CO2 por tonelada, 23% inferior à média global, de 653kg CO2/ton.

A participação de profissionais de todas as áreas também é fundamental para o andamento adequado do plano. Para que todos tenham acesso aos dados e estejam envolvidos na implementação da Gestão de Carbono, foram realizados mais de 50 eventos de capacitação do público interno entre 2009 e 2011.

Entre os resultados no desempenho econômico da empresa, está a adoção de combustíveis alternativos aos insumos fósseis utilizados para a alimentação dos fornos. Entre 2007, quando o uso de combustíveis alternativos foi de 4%, até 2011, quando esse índice alcançou 10%, a InterCement deixou de queimar mais de 30.000 toneladas de coque de petróleo.