Quinta, 11 de Junho de 2015, às 16:25

Instituto InterCement nasce para fortalecer atuação social da empresa em 40 plantas distribuídas por 8 países

instituto intercement

No Brasil, a experiência acumulada há 15 anos com Instituto Camargo Corrêa (ICC) será estratégica para o aprofundamento das relações da empresa com comunidades de 16 municípios onde tem unidades produtivas

Totalmente alinhado com a estratégia internacional de atuação da InterCement e com o objetivo de consolidar a imagem de empresa de cimento inovadora, parceira e ciente de suas responsabilidades socioambientais. É nessa atmosfera que nasce o Instituto InterCement, entidade que passa a ser responsável pelas estratégias de atuação social da organização a partir de hoje, 11 de junho de 2015.

"Desde que definimos a nossa tagline construindo parcerias sustentáveis, ficou ainda mais claro que, junto à comunidade, isso deve ser feito por meio das ações transformadoras realizadas diretamente por nossas equipes, apoiadas por metodologias de mobilização social efetivas", diz José Édison Barros Franco, Presidente do Instituto InterCement e do Conselho de Administração da InterCement.

A nova estrutura vai absorver e ampliar o trabalho que vinha sendo realizado nas últimas décadas em parceria com o Instituto Camargo Corrêa (ICC). São projetos prioritários na área da primeira infância (programa Infância Ideal), juventude (programa Futuro Ideal), educação básica (programa Escola Ideal) e voluntariado (programa Ideal Voluntário).

"Já sentíamos a necessidade de distinção e, com isso, no final de 2013, foram criados, dentro do ICC, o núcleo 'obras' (construção) e o núcleo 'plantas' (cimento), algo que se mostrou produtivo e culminou no estabelecimento do Instituto InterCement", explica Francisco de Assis Azevedo, diretor-executivo do ICC. A InterCement tem 40 plantas distribuídas em oito países de três continentes (Brasil, África do Sul, Argentina, Cabo Verde, Egito, Moçambique, Paraguai e Portugal).

Dentro do Grupo Camargo Corrêa, o que começou como filantropia em 2000, ganhou fôlego em 2006 com a revisão completa do planejamento estratégico social da empresa e a elaboração de uma Carta de Sustentabilidade: O Desafio da Inovação, que foi assinado por acionistas e gestores de todas as unidades do grupo.

"O investimento social privado é a expressão viva e concreta dos valores que norteiam a família empresária consciente do seu papel cidadão", diz Rosana Camargo de Arruda Botelho, acionista do grupo e fundadora, junto com a também acionista Renata de Camargo Nascimento. "Renata e eu iniciamos nossa atividade profissional no terceiro setor, sendo essa a forma escolhida para vivermos um dos valores de nossa família – a responsabilidade social", completa.

O Instituto InterCement nasce com um robusto modelo de governança, desenhado a fim de transformá-lo em um agente fundamental para o desenvolvimento sustentável por meio do estabelecimento de parcerias valiosas e duradouras. Além disso, passa a incorporar novos aspectos, como o tema da responsabilidade ambiental. Portanto, uma nova frente a ser trabalhada pelo Instituto é a promoção da educação ambiental, conservação e proteção da biodiversidade local.

Com ampla experiência no setor, com passagens pela Fundação W. K. Kellogg e o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social, entre outros, Carla Duprat foi escolhida para ser a diretora-executiva do Instituto InterCement. "Queremos trabalhar muito próximos das comunidades onde a empresa está presente", diz Carla Duprat, que desde 2007 atua na área de investimento social e sustentabilidade do grupo.

"Iremos trabalhar em oposição ao descolamento, até então comum, onde se viam institutos estruturando-se para executar as questões relacionadas ao investimento social privado enquanto as respectivas empresas seguiam realizando suas atividades regulares", conclui.

Sobre a InterCement

Com 40 fábricas de cimento e moagens e capacidade instalada de mais de 47 milhões de toneladas/ano, a InterCement está entre as 10 maiores empresas internacionais de cimento do mundo e é líder nos mercados de Portugal, da Argentina, de Moçambique e de Cabo Verde, vice-líder no Brasil e no Paraguai e mantém posição de destaque na África do Sul e no Egito.

Raio X

  • 3 continentes e 8 países (Brasil, África do Sul, Argentina, Cabo Verde, Egito, Moçambique, Paraguai e Portugal)
  • Profissionais: 8.768
  • 40 unidades de produção
  • 30 milhões de toneladas vendidas em 2014