Grupo CPFL

Horário de verão reduz consumo de energia em 3,4%

Sexta, 15 de Fevereiro de 2013, às 17:47
Campinas, com 1,1 milhão de habitantes, é uma das cidades atendidas pela CPFL Energia Campinas, com 1,1 milhão de habitantes, é uma das cidades atendidas pela CPFL Energia

Após 119 dias do início do Horário de Verão, o Grupo CPFL registrou uma redução de 3,4% na demanda global por energia elétrica no horário de pico nas áreas de concessão de suas oito distribuidoras. As empresas também acumularam uma redução no consumo de 158.670 MWh (megawatts/hora), energia suficiente para atender por 17 dias uma cidade como Campinas, SP, com 1,1 milhão de habitantes. A 42a edição do Horário de Verão termina à meia noite de sábado, 16 de fevereiro, quando os relógios deverão ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Distrito Federal.

O Grupo Camargo Corrêa é acionista de referência no bloco de controle da CPFL Energia.

Horário de Verão

Em vigência desde o dia 21 de outubro, o horário de verão tem como objetivo diminuir o risco de problemas de fornecimento de energia elétrica no período em que a demanda cresce, devido ao calor intenso e à produção industrial para o Natal. Com luminosidade natural por mais tempo, a concentração do consumo se dilui das 18h às 22h, evitando a sobrecarga no sistema, argumentam os defensores da medida.

Na última década, segundo o Ministério de Minas e Energia, o horário de verão possibilitou redução média de 4,6% na demanda por energia no horário de pico, das 18h às 21h. A estimativa do governo é de que a edição deste ano tenha sido suficiente para uma economia de R$ 280 milhões e uma redução média de cerca de 5% na demanda por energia nessa faixa horária. Na edição anterior, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o País economizou R$ 160 milhões.